3 de abr de 2012

A areia, a borboleta, tu

Areia escorre por minhas mãos,
Não consigo fechá-las.
Tento afobadamente não deixar cair a areia
Porém não sei como fechar minhas mãos.

Corro atras de uma borboleta
Que foge de mim.
Nossa distância aumenta aos poucos,
Meus olhos querem agarrá-la,
Contudo minhas pernas desaprendem a correr.

Tu és a areia que escorre entre meus dedos,
Areia que não consigo manter comigo.
Não quero te perder
Entretanto não sei como fazer-te querer ficar aqui.

Tu és a borboleta que voa para longe de mim,
Borboleta que não consigo capturar.
Sinto que aos poucos nossa distância aumenta
Mas não sei como correr.
Não sei como ganhar teu coração.




Niko

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores